Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4 Acessibilidade 5 Alto contraste 6

---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?


Autor Lança Novo Livro em Armazém

Publicado em 30/05/2006 às 00:00 - Atualizado em 13/02/2015 às 15:50

A Trilha dos Miseráveis, de autoria de Pedro Antônio Corrêa, é última obra escrita pelo autor e que foi apresentada na última segunda-feira no município, na sessão da câmara de vereadores. O livro, que enfoca, na ficção, o drama familiar dos marginalizados no movimento do Contestado, a guerra catarinense, remetendo nosso imaginário a um contexto presenciado há quase cem anos. Uma obra embasada em pesquisas bibliográficas, que apresenta os fatos verídicos registrados no meio oeste catarinense, no percorrer dos monges e do messianismo dos sertões, sob a liderança de José Maria, nos casebres humildes e nas famílias desfavorecidas protagonistas do Movimento do Contestado, que fez dos limites do Paraná e Santa Catarina palco de guerra e de sangue. Assim é o livro A Trilha dos Miseráveis, de Pedro Antônio Corrêa. Nas palavras do autor, que é natural de Armazém, mais precisamente da comunidade de Bom Jesus, e que também é escultor e pintor, uma definição para os atores, os marginalizados do Movimento do Contestado que serviu de pano de fundo para o seu mais novo romance %u201CToldaram os rios e encharcaram o chão dos cerrados com o sangue que a história erroneamente registra como monarquistas e revoltados contra o regime republicano%u201D, diz Corrêa. Na simplicidade da colocação dos fatos, o autor, descreve em forma de narrativa e ficção a problemática das divisões de terra e das milhares de pessoas que ficaram à margem do poder dos gananciosos. A obra, que possui 320 páginas, é mais um lançamento da Editora Unisul. Na sessão de apresentação do livro, o Presidente da câmara, Adalto dos Santos Moisés, deu enfoque à importância das obras do autor, que também é membro fundador e primeiro presidente da Academia Tubaronense de Letras, e possui mais três livros lançados: A Cachoeira dos Pilões, Felícia e Sempre é tempo. Corrêa agradeceu a receptividade do povo armazenense e mencionou que sempre tem seus livros bem aceitos na região, e que, sem dúvida, Armazém é onde tem maior venda e divulgação.

Galeria de Imagens

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar

Galeria de Arquivos